Notícias

Transformações do mercado imobiliário na era digital

(10/11/2017)

(IT FORUM)

O mercado imobiliário está passando por uma grande transformação digital, principalmente na relação entre consumidores e todos os envolvidos na cadeia como corretores, imobiliárias, incorporadoras e construtoras. Se antes as informações eram pulverizadas entre os players, a tecnologia e o comportamento de consumo estão modificando este cenário.

Na visão de Lucas Vargas, CEO do portal de imóveis VivaReal, o setor imobiliário deve trazer uma jornada do consumidor muito mais acolhedora. Para tal, toda a transação deve ser mais eficiente e transparente, indo além da busca do imóvel e de fotos nos portais. O executivo ressaltou que a falta de transparência e confiança na relação dos consumidores com corretores e imobiliárias no Brasil impacta negativamente as avaliações sobre este mercado.

"De acordo com pesquisas de satisfação realizadas pelo VivaReal, o atual nível de satisfação do consumidor para com os serviços imobiliários hoje atinge uma nota média de 3.3, de 10. Nosso objetivo é de subir esta nota para no mínimo 8", contou Vargas. Mas como um setor tão tradicional e off-line pode se transformar em data driven?

Para responder esta questão, o executivo detalhou, durante apresentação realizada na quarta-feira, 8, no IT Forum Expo 2017, os planos do VivaReal para transformar a experiência do consumidor através de transações imobiliárias mais seguras e efetivas, com base no que já é feito no mercado imobiliário americano, e que está dando muito certo. "Não estamos falando sobre acabar com o trabalho dos corretores, mas sim conectá-los às soluções digitais", enfatizou.


Tecnologias efetivas

A necessidade de uma ferramenta de mapeamento virtual foi a primeira solução apontada por Vargas durante sua apresentação. "Diferentemente dos Estados Unidos, não existe no Brasil um mapeamento que disponibilize aos consumidores informações completas e digitalizadas sobre todos os imóveis", comentou.

Pelo fato da jornada do consumidor no mercado imobiliário não ser linear, mas descontínua, também é preciso, segundo ele, criar um ecossistema para operar ponta a ponta neste mercado. Outra solução a ser considerada é a de moderação dos corretores para se ter um "match" entre oferta e demanda. "Nos EUA, por exemplo, os portais imobiliários disponibilizam os perfis dos corretores e suas avaliações".

Assim como nos demais segmentos, o mercado imobiliário deve se reinventar para acompanhar a evolução das tecnologias. O caminho do sucesso nessa nova era será adequar as estratégias ao novo comportamento do consumidor de imóveis.

 

Técnica ensina a valorizar o imóvel para venda pela internet

(G1)

Home staging ajuda a reorganizar e preparar ambientes para fotos e visitas. Primeira busca por imóvel acontece pela internet em 90% dos casos.


Em mercado difícil, quem tenta vender precisa caprichar na apresentação do imóvel e existem técnicas para isso.
É uma senhora economia de sola de sapato, gasolina e tempo. Hoje, o mercado imobiliário estima que, em 90% dos casos, a primeira busca por casa ou apartamento acontece pela internet. "Desperta o interesse de uma forma muito mais rápida", diz o consultor imobiliário Alaor Neto.

Os maiores sites do ramo têm mais de 2,8 milhões de imóveis para vender ou alugar. E, nessa grande vitrine virtual, a primeira impressão pode ser a que fica. Fotos com a bagunça nossa de todo dia podem ser fatais.
"Em uma época como essa de crise, é muito importante você destacar esses elementos porque as pessoas estão garimpando muitos imóveis e procurando as melhores ofertas", afirma Eduardo Schaeffer, presidente do ZAP.

Mas não adianta pensar naqueles filtros e truques de imagem usados nas redes sociais. Quando o assunto venda de imóvel na internet, a técnica é outra. Tem nome em inglês, é bem simples de usar e pode aumentar o valor de venda e diminuir o tempo de espera para fechar negócio.

Home staging é a técnica americana de reorganizar e preparar os ambientes para as fotos e as visitas. Os sites de imóveis começaram a espalhar as dicas para ajudar quem não é do ramo. "Acho que as pessoas que não tem esse conhecimento acabam perdendo oportunidades", afirma a publicitária Paula Pinho.

A Paula está aplicando o que aprendeu para, em breve, colocar o apartamento dela em um site. Ela deu uma mão de tinta na cozinha, mas descobriu detalhes mais importantes. "Fotos de aniversário, lembranças de viagem que a gente traz, tudo isso é pessoal e não tem necessidade de manter isso na geladeira. Então, quanto menos elementos tiver no imóvel, mais você amplia a possibilidade de a pessoa se imaginar ali", explica.
Vale também criar um clima fazendo, por exemplo, uma mesa bonita, e até apelar para a memória afetiva. "Pode fazer um bolo, por exemplo, para deixar o ambiente mais acolhedor", diz Paula.

As dicas ajudaram o Erik. As primeiras fotos do apartamento não eram muito convidativas, mas depois de aprender a técnica dá para ver a diferença. "Eu senti um número maior de visualizações do meu anúncio, eu senti um número maior de visitas e as pessoas que iam visitar me davam um retorno", conta o engenheiro Erik Nabarrete Schanz.

Em quatro meses, ele conseguiu negociar o apartamento que há dois anos tentava vender. E já está na casa nova. A Paula espera chegar lá logo depois de seguir a última dica. "Você deixar só 50% das roupas dentro do guarda-roupas para mostrar profundidade e a quantidade de coisas que você pode guardar".