Notícias

Corretores de Imóveis, mais uma vez atacados pelo Sistema COFECI/CRECIs

(18/04/2018)

O SINDIMÓVEIS-SC vem a público externar sua perplexidade pela evidente e descarada manipulação do processo eleitoral, para escolha dos gestores dos Conselhos Regionais de Corretores de Imóveis, que vem sendo liderada pelo Cofeci (Conselho Federal dos Corretores de Imóveis) , em sintonia com os atuais 25 Conselhos Regionais de Corretores de Imóveis existentes atualmente no Brasil.

Em todos os Estados brasileiros, com processo eleitoral aberto para a gestão dos CRECIs 2019/2021, TODAS as chapas de oposição aos atuais comandos foram indeferidas e, portanto, impedidas de participarem das eleições, tirando dos corretores de imóveis o direito de livre e democrática escolha.

Salientamos que foram aprovadas apenas uma chapa em cada Estado para concorrer às eleições, chegando ao cúmulo de, em Estados que tiveram até três chapas, permanecer apta à disputa apenas a chapa da situação, fielmente alinhada com o comando no Cofeci - o Conselho Federal dos Corretores de Imóveis.

Em Santa Catarina, a alegação para indeferir a chapa de Oposição MUDA CRECI foi a falsa observância de que existem irregularidades na documentação apresentada pelo grupo opositor. Recurso interposto à Comissão Eleitoral Federal, a chapa MUDA CRECI permaneceu dita inapta para o certame.

A repressão às chapas opositoras aos atuais comandos do Conselho Federal e dos Regionais de Corretores de Imóveis já era esperada diante do modus operandi há tempos observado na firme estratégia de se perpetuarem no poder, sob o comando do presidente do Sistema COFECI/CRECIs, João Teodoro da Silva, que já ocupa a função há cerca de 20 anos, sendo que na instituição a cerca de 30 anos.

Aqui mesmo em Santa Catarina experimentamos no último processo eleitoral, realizado em 2015 , a gana dos atuais gestores do CRECI-SC - 11ª Região em se manterem no poder, sem correrem nenhum tipo de risco. Para isso, evitam até hoje, por meio de recursos judiciais, enfrentar uma segunda chapa nas urnas.

A chapa MUDA CRECI ainda briga na Justiça pela sua participação na eleição realizada em 2015, tendo vencido a batalha na discussão do mérito, no TRF4 e no STJ . No entanto, aguarda nova análise de recurso de apelação, que está sob a relatoria da desembargadora federal Vânia Hack de Almeida, do TRF4.

Para este ano, impedida de participar do processo eleitoral por alegações e motivos frágeis, novamente a chapa MUDA CRECI, acionou a Justiça para inscrever sua chapa e, quem sabe, participar das eleições, já que os gestores do COFECI /CRECIs não permitem através de manobras eleitorais absurdas, que se realize as eleições com disputa. Querem eleições que apenas ratifiquem os nomes dos candidatos das chapas da situação espalhadas por todo país, perpetuando no poder pessoas que somam mais de 30 anos se revezando em cargos no Sistema COFECI/CRECIs.


SEGUIMOS JUNTOS E LUTANDO!
C.I. Antonio Moser